É cada vez mais evidente que atrair profissionais talentosos, e que tenham a cara da sua cultura tem se tornado uma tarefa difícil.

Ainda mais em um mundo que tem se falado em disputa, principalmente quando falamos de desenvolvimento de software, tecnologia e outros. Essa esfera se abrange para todas as outras áreas, hoje esses nichos estão mais evidentes porque o mercado está extremamente aquecido por falta de profissionais (falando de volume e não capacidade).

Segundo O Globo, em uma matéria publicada em 20XX, é estimado que até 2024, o Brasil precise de cerca de 420 mil profissionais dessa área, porém o Brasil forma apenas 46 mil por ano.

Falando da experiência do candidato e o determinado instante que o líder entra no processo seletivo para entrevistar, esse é um dos momentos chave do processo. É um ponto de contato, que da previsibilidade para a possível trajetória e reflexão:
“Possivelmente estarei com essa pessoa por um bom tempo, quero isso pra mim, até que ponto me identifico com ela e ela transmite a cultura e o propósito de onde quero estar?”

Pensando nesses aspectos é interessante fomentar essa responsabilidade coletiva: atrair x reter. Isso não é uma responsabilidade somente do RH, Cultura ou uma boa estratégia de Employer Branding.

10 pontos que se é esperado de um líder dentro desse processo:

  1. Acessibilidade: ser acessível e um desafio no mundo de hoje, mas um bom líder precisa disso. E sobre experiência. Pode não ter o melhor produto, mas alguém pode ficar ou voltar pelo seu “atendimento”.
  2. Valorização de capital humano na consequência de resultados positivos tanto na organização, quanto equipe: isso gera engajamento, criatividade, traz proximidade e gera desenvolvimento.
  3. Vivência da cultura que transmite identificação e reafirma o clima organizacional.
  4. Comportamentos de sucesso: liderar pelo exemplo. Viver aquilo que é proposto e que tenha propósito, incentivar a cultura é incentivar potenciais a se desenvolver.
  5. Afetividade: interesse genuíno pelo outro, aproximação e amparo.
  6. Cultura de aprendizado através da cultura organizacional: aprender e transmitir é um dos valores mais valiosos na atração e retenção de talentos.
  7. Reafirmação de incentivos e programas internos de Desenvolvimento: a efetividade dessas ações cria uma cultura de valor para o colaborador e o faz entender sua responsabilidade e protagonismo, porém junto da liderança esse caminho se torna mais fácil.
  8. Colaboração: o compartilhamento na tomada de decisões traz seus profissionais para perto e o senso de pertencimento e importante para ações no presente e futuro da organização.
  9. Escuta: estamos em 2021, mas muita gente ainda não sabe ouvir. O líder que escuta, conversa, elabora, questiona, desenvolve-se e consequentemente desenvolve pessoas. A escuta faz parte da linha de horizontalidade entre líder x liderado.
  10. Respeitar e entender a individualidade de todos: tratar todos como iguais, mas entender que cada um é diferente.

Os pontos citados acima ajudam a criar uma cultura de lealdade em prol dos seus liderados, trazendo um senso de responsabilidade na realização de propósitos coletivos, que vai além dos benefícios monetários e de recompensa. Atrair e reter é uma relação de fidelidade que tem que ser trabalhada continuamente com o ser humano como estratégia principal, por isso é fundamental o papel da liderança nesse processo.

Quando estamos falando na construção de times e pipeline de talentos, é esperado que líderes tenham total discernimento e sensibilidade do contexto organizacional interno para traduzir e conectar essa responsabilidade com a equipe responsável na contratação (recrutamento e seleção), o domínio desse contexto ocasiona em contratações mais assertivas e com possibilidade de match e longevidade dentro da organização. Isso é estratégia.

Hoje o grande desafio das empresas e que as pessoas sejam FELIZES, já que passamos 1/3 da nossa vida no ambiente de trabalho. Liderar foge do senso de conhecer os processos, operações e conhecimento técnico (isso também faz parte), mas o maior valor de um líder é refletir sempre acerca do seu trabalho olhando o capital humano como o centro de suas realizações e um guardião de experiências genuínas.

Igor Antunes
Por Igor Antunes

Sou do interior de São Paulo, uma cidadezinha chamada Luiziânia, com pouco mais de 5 mil habitantes. Fiz minha graduação em Psicologia na Universidade Paulista de Araçatuba – SP, os meus estágios foram em âmbitos institucionais como: Caps, Caps Álcool e Drogas, Caps Infantil e Clínica psicoterapêutica em Psicodiagnóstico Infantil, Plantão Psicológico e abordagem em Teoria Cognitivo Comportamental.