Se você ainda tem dificuldade de falar sobre a importância do investimento na estratégia e posicionamento da marca empregadora na sua organização, provavelmente você tem desafios de contratação e retenção de talentos e não os superará tão cedo.

Afinal, por que, onde e como levar esse tema adiante? Quais problemas do negócio você precisa resolver? Que tipo de impressão (reputação) as pessoas têm de como é trabalhar na sua empresa? Abaixo algumas respostas (para alguns mais perguntas).

Diversidade

Muito se fala em diversidade, mas será que sua empresa investe mesmo no tema, tem um ambiente preparado, tem histórias (e números) que mostram que a prática vai mesmo além do discurso?

Se a sua resposta foi “sim para todos”, as próximas perguntas são: seus colaboradores sabem e sentem isso? Sentem orgulho e divulgam suas iniciativas de diversidade?

E seus candidatos, conseguem enxergar isso também? Quais canais você divulga? Com que frequência? Como você mede o sucesso destas iniciativas? Com quem você se compara e o que sua concorrência tem feito a respeito (e diferente) sobre o assunto?

Tecnologia

Por anos acreditava-se que ter videogame no ambiente de trabalho era o grande diferencial para uma pessoa de tecnologia escolher uma empresa para trabalhar. Depois foi a vez do trabalho remoto. Desde o ano passado estão todos em casa e jogando videogame. Afinal, por que uma pessoa da área de tecnologia deveria escolher a sua organização (e permanecer nela)?

Como se diferenciar em um mercado tão competitivo? O que torna único o desafio ou o ambiente que você oferece? Onde você conta suas histórias? Será que você não está fazendo o mesmo que a concorrência – e rezando para um candidato responder seu inbox? E se o tema for mulheres na tecnologia, o que você tem para se diferenciar? Quais (e quantas) histórias para contar? Em quais meios? 

Transformação Digital

No último ano muita empresa teve que se reinventar e acelerar mudanças, tanto para modelos de negócio como formatos de trabalho e gestão de pessoas. A cultura e a comunicação sofreram bastante assim como a marca empregadora. 

As perguntas aqui são: sua organização estava preparada para passar por tudo isso?

Tinha os melhores líderes para enfrentar esse último ano?

Perdeu grandes talentos para a concorrência nesse processo? Não conseguiu atrair os melhores candidatos? Virou o ano e essas perguntas continuam sem resposta?

Estes são apenas alguns motivos e respostas que uma marca empregadora forte e estruturada ajudará a resolver. Mas não pense você que começando em 2021, este ano ainda você mudará (ou construirá) toda uma reputação de sua empresa. São anos para construir uma marca. Pense em qualquer marca (empregadora ou não) e há quanto tempo você ouve falar sobre ela ou a consome. 

Pois é, a resposta não foi há 2 semanas ou 3 meses. 

Estratégia, foco, segmentação, consistência e frequência são algumas das palavras chaves para trabalhar em employer branding. 

Tudo isso é praticado há anos pelas maiores marcas do planeta, mesmo sendo elas conhecidas e até de certa forma desejadas. Ou você achava mesmo que Disney, Facebook, Apple e Netflix não investem em marca empregadora, já que são empresas conhecidas e até desejadas por muitos? Pois é, Employer Branding é essencial e importante para todos.

Este artigo mostra estas e outras empresas que investem (e muito) na estratégia da marca empregadora: https://askwonder.com/research/employer-branding-f2n2nh7bl

Que 2021 seja verdadeiramente o ano da consolidação da marca empregadora nas estratégias das empresas. Seguirei acompanhando de perto e compartilhando conhecimento e aprendizado por aqui sempre.

Caio Infante
Por Caio Infante

Formado em Publicidade e Propaganda pela ESPM e com MBA em Gestão Internacional pela University of Technology, em Sidney, na Austrália. Fez carreira internacional trabalhando em agências de publicidade australianas; voltando ao Brasil atuou na Trabalhando.com no início das operações – entre 2008 e 2010 – como diretor comercial e de Marketing, chegando a Country Manager da operação alguns anos depois, onde ficou por 3 anos. Liderou ainda a área de novos negócios e mercados na Catho. É Diretor Geral para a América Latina da agência global TMP Worldwide, focada em EVP e Employer Branding.